Seguidores

domingo, 5 de julho de 2015

A Igreja está doente...



“quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade” (João 16:13) 

                     A Igreja do Senhor está doente. Sem nos apercebermos, ao permitirmos que Doutrinas não cristãs se apossem dos altares de nossas Igrejas, estamos adoentando nossos irmãos. Palavras bonitas, músicas bem cantadas, mas sem profundidade bíblica estão tornando nossos irmãos raquíticos de Fé. Os alimentos que lhes é servido é raso, sem nutrientes e só incham. As pessoas saem do Templo saciadas, mas este alimento não gera efeitos tardios, só imediatos, enchem apenas, trazem  só a saciedade momentânea, mas não possuem nutrientes necessários para uma caminhada mais longa. Não existe elementos necessários para a captação do Organismo trabalhar, vendo este Organismo como o Espírito Santo. Sim, há muita beleza no que acontece em nossos Templos, riqueza em voz e fala, mas falta o que aciona o trabalhar do Espírito Santo: Conteúdo.
                   Muitos terminam  suas Mensagens ou entregam suas oportunidades, pedindo que o Espírito Santo fale melhor em nossos corações, mas sendo Ele  Santo, não pode trabalhar em terreno onde não há Sementes. Sim, a semente que estamos lançando, se não tem princípios bíblicos, não pode ser ativada pelo Espírito Santo, pois sendo vazia, é morta, ocupa apenas espaço. O Espírito santo não germina semente morta, assim como não torna saudável um alimento sem conteúdo. E se permitimos que os sendentos de Deus entre em nossos Templos e recebam sementes mortas, estamos transformando estas pessoas em terrenos inúteis. Se somos semeadores da Fé, devemso trazer conosco sementes da Verdade e de verdade, e não sementes que jamais serão fertilizadas e não germinarão. Se estamos trazendo à Mesa de nossos Templos alimentos bonitos, mas inúteis para o crescimento das pessoas que se achegam a Deus, não iremos mais precisar ir fora Evangelizr, passaremos o resto de nossa vida e ministério pessoal,  evagelizando crentes mornos. E o Senhor não quer ninguém  morno, quer que sejamos quentes ou até frios. Sim, pois  aos frios há a esperança de aquecerem e tornarem-se quentes, mas o destino do morno é sempre esfriar mais.
                   Precisamos urgentemente mudar nosso modo de gerir o Rebanho que não nos pertence. Um dia seremos cobrados por cada ovelha que perdemos. Por cada terreno fértil que inutilizamos plantando semente infértil, também seremos cobrados. Seja Rebanho, seja Plantação, o que importa é o tipo de gerência que você dá aquilo que não te pertence. Que possamos olhar melhor pelo que nos foi confiado e sermos melhores em nossas atitudes, agindo com decência, respeito e amor para que quando tivermos que prestar contas, estejamos confiantes que estamos entregando o nosso melhor ao Senhor.

Receba as mensagens no seu Email