Seguidores

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Você é fonte de quê?

Quem é sujo...

Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda (Apocalipse 22:11).
Claro que você precisa reconhecer que tem fissuras, só assim vai poder restaurá-las, caso contrário causam contaminações. É preciso fazer como Paulo e assumir que no trajeto da água pode haver estas pequenas rachaduras. Você só é santificado,quando elas são fechadas, mas o mal tenta abrir outras, pois o mal está em ti.

Assim fica uma pergunta: Que água o próximo tem encontrado quando abre sua torneira? Será que a água que você leva está matando ou gerando vida?

Paulo lutava internamente, principalmente porque ele tinha zelo pela obra do Senhor, mas ao se reconhecer fraco, ele não estava abrindo mão de sua responsabilidade por seus atos.

A Bíblia garante que somos corruptíveis, ou seja, temos a natureza que pode ser corrompida, porém temos que lutar contra, para não sermos vencidos por ela (Romanos 3-23).
O que não conhece é inocente, você não, assim sua luta para permanecer limpo, mesmo que se considere o mais puro dos homens, ainda não é, porque sabe reconhecer o que é certo ou errado, o que esta fora nada sabe. Então nunca admita que você está no auge da purificação, afinal aquele que afirma que não peca, esta em pecado. Claro que tendo uma origem de pecado, fomos salvos, pois é Jesus que nos purifica, através de seu sangue (I João 1-7).

Em todo tempo sempre há alguém desejando mostrar sua santidade com atitudes. Os fariseus e suas franjas que o digam (Mateus 23-5), mas claro, repito, que não estou autorizando ninguém a pecar e menos ainda, a renunciar a santificação, afinal sem ela ninguém verá a Deus (Hebreus 12-14). porém não existe ninguém mais santo do que você, pode ter a maior franja do mundo, mas é tão pecador quanto você. Podem até filtrar os mosquitos, mas jamais se livrarão dos camelos, por causa de sua hipocrisia (Mateus 23-24), afinal só houve um Santo.

Estando no lugar certo?

Muitas vezes endeusamos homens, colocando-os em altares erguidos para a soberba destes, e nem notamos que suas águas – corrompidas pelo orgulho da pretensa santidade – não é pura e sim cheia de coliformes fecais. As pessoas acabam separando-se das outras, delimitando-se pela santidade exagerada, sendo que Deus – que de fato é Santo – não faz acepção de pessoas (Romanos 2-11), até porque Deus vê de forma diferente de nós, afinal Ele vê o homem de dentro para fora (I Samuel 16-7).

Na verdade, minha Natureza espiritual é de Deus, mas a minha natureza carnal é carne.

Eu amo pregar o Evangelho e o faço já há 15 anos, não preciso ter asas, aureola ou flutuar para ser santo, quem realiza a obra em mim é o Espírito Santo. Durante a nossa caminhada as lutas vem sobre nós, uma vez vence outra perde.

É natural na vida agirmos em pensamento de forma contrária ao que sabemos ser certo. Você já mentiu, já matou em pensamento, mas você não pode executar, pois quando faz algo errado, dá vasão ao pecado que habita em você, em nós. Afinal, só é pecado porque sei que transgrido a lei. Pela Lei apena só inocente não é passível de punição, já o que a conhece será por ela punido.



Auto-Suficientes ?


Somos marcados como se por uma estrela, quando eu peco porém reconheço que estou errando, o Espírito do Senhor está comigo, agora, quando não sentir mais é porque estou mais longe de Deus. O que faz separação entre você e Deus é o pecado (Isaías 59-1 e 2). É o farol amarelo que jamais deve se apagar, deve se manter aceso, se não percebo não é que apagou e sim eu que deixei de ver, então pereço.

Muitas vezes nos vemos cheio de estrelas, mas com o nosso caminho, vamos andando e perdendo-as, quando muito o que temos são apenas asteriscos. Em nosso caminhar devemos fugir sim da contaminação, mas se acontecer de sermos contaminados, devemos nos descontaminar com a Graça, a misericórdia e o Sangue de Jesus, então purificados continuamos seguindo.

Será que alguém te reconhece como crente, como pastor? Às vezes naquele lugar tem outros que deveriam minar da Água da Vida, mas nada saem deles, ou pior, minam apenas água contaminada, mesmo tendo nome de fonte saudável. Se Deus te manda para algum lugar é para mandar Água limpa. A Água que vai até por carta tem que ser limpa, não interessa que meios você vai utilizar para alcançar o seu objetivo, que não pode ser colocado em segundo plano, sempre salvar.



Reconheça...

Faça como Paulo e reconheça como ele: Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?(Romanos 7:23-24), ele reconhecia sua situação, este mesmo homem cuja a sombra curava. Precisamos em todo tempo entender que Humilhação não é autopiedade, mas em todo tempo devemos clamar como alguém aflito por querer crer “Ajude-me Senhor na minha fraqueza”.
Se você observar bem Jesus admirava-se daqueles que se humilharam diante dele, mas se humilharam de fato, eles tornaram-se exemplos. Paulo não se colocava na posição de santo, ele se colocava como Jesus – um exemplo de humildade – na posição de homem. A diferença,a entre Paulo e Jesus era que Jesus era Deus e incorruptível. No mais, Paulo nos adverte a sermos iguais a Ele, ao dizer:
Sede meus imitadores, como eu sou de Cristo (I Coríntios 11-1).

A Experiência de dois Irmãos

Dois cristãos falavam sobre o viver em Cristo, pondo em evidência as lutas e os trabalhos para chegarem a um fim vitorioso. 

Dizia um: - não é fácil, meu irmão, pois, todos os dias, tenho que me preocupar: com dois falcões codiciosos, duas endiabradas lebres para guardar, dois gaviões vorazes para adestrar, um dragão medonho para vencer, um leão terrível para combater e um pobre doente para cuidar

Mas, como é isso e o que tem tudo isso com uma vida cristã autêntica? - perguntou o outro.

- Repare e confira, meu irmão:

Os falcões são os meus olhos, que tenho de guardar com muito cuidado para que se não fixem demasiado na luxúria do mundo ( Mateus 5:28-29), As lebres são os meus pés, que tenho de vigiar muito bem para que não corram velozmente pela estrada larga do pecado e da maldade, Os gaviões são as minhas mãos, que tenho de subjugar ao trabalho honesto, a fim de que tenham sempre que fazer o bem e não se dediquem à prática do mal, O leão é o meu coração, de onde partem as saídas da vida, pelo que tenho que o manter humilde, contrito, e não deixar que enverede pelos pensamentos da vaidade, do orgulho e me magoe a mim e ao meu próximo e, Finalmente, o doente sou eu, que sou uma chaga apodrecida desde a cabeça até aos pés e que constantemente preciso das receitas do céu. A tempo e a horas, tenho que tomar os medicamentos que Cristo dá.

Assim, somos nós, somos curados, purificados e vivificados pela Palavra.

Receba as mensagens no seu Email